Maternidade e escravidão

O Brasil foi um dos maiores países escravistas do mundo e os rastros da escravidão estão em todas as células desse país, constituindo um forte fator desde antes de sua formação territorial, na sua formação como Estado e posterioramente nação, até as bases mais fundamentais de desenvolvimento hoje. A escravidão abrangeu todos os aspectos de vida e principalmente da morte de suas vítimas, entretanto um campo de estudo que ainda está sendo explorado é a maternidade em tempos de escravidão.

A partir do recorte de gênero é possível entender como a escravidão era sofrida em diferente lugares sociais, por mais que não invalidasse nenhum deles. Segundo Jennifer Morgan a mulher era explorada enquanto trabalhadora e reprodutora, tornando o corpo da mulher como o locus da escravidão.Os senhores de escravos se apropriavam de seu corpo como um reprodutor de mão-de-obra de forma dúbia, já que se preocupavam em estimular a gravidez ao mesmo tempo que submetiam as mães a trabalharem exaustivamente até no momento de amamentação, o que evidentimente causava alta mortalidade infantil, que os senhores prontamente justificavam pela negligência das mães, não pela própria política genocida que castiga brutalmente mulheres grávidas:

“Relatos apontam a prática de posicionar a escravizada grávida nua, deitada de bruços no chão, com a barriga acomodada num buraco, para ser castigada por chicotadas.”

A dureza desse tema também esconde o pesado silèncio em volta dele, que segundo Sasha Turner chama muita atenção nas fontes; diversos exemplos de como a maternidade para as mulheres escravas era um sinonimo de sofrimento agudo podem ser citados, mas para finalizar o texto escolho este:

“Num relato comovente, uma mãe escravizada, enquanto mantinha as mãos ocupadas no trabalho, vê, apenas pelo canto dos olhos, passar o corpo de seu filho morto nos primeiros meses de vida.”

Texto produzido a partir do “Mulher, corpo e maternidade” de Maria Helena Pereira Toledo Machado

Para citar este post: Mariana Rodrigues de Vita. Maternidade e escravidão, em Blog M.A.P., 16/11/2019. Acessado em 29/09/2021. Disponível em https://mapusp.hypotheses.org/155.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search